fbpx
TUDO O QUE VOCÊ SEMPRE QUIS SABER SOBRE A ENTREVISTA DE EMPREGO, MAS NUNCA TEVE OPORTUNIDADE DE PERGUNTAR

TUDO O QUE VOCÊ SEMPRE QUIS SABER SOBRE A ENTREVISTA DE EMPREGO, MAS NUNCA TEVE OPORTUNIDADE DE PERGUNTAR

– ENTREVISTA DA EU EMPREGADISSIMO COM A HEADHUNTER LUCIA BARBOSA –

As dúvidas que você sempre teve a respeito da entrevista de emprego, agora sob o ponto de vista do recrutador!

Nós, da Eu Empregadíssimo, conhecemos as angústias da busca por uma recolocação profissional e sabemos das incertezas que esse momento tão delicado pode causar. As dúvidas na hora de elaborar o currículo, a ansiedade e a insegurança no momento da entrevista, e a frustração de uma devolutiva negativa – ou ainda pior: a falta da devolutiva. Nesse momento, é normal ter vontade de ligar para o recrutador e perguntar: “o que foi que eu fiz de errado”?

Pensando em antever a resposta para essa pergunta, entrevistamos a headhunter Lúcia Barbosa, que tem mais de 30 anos de experiência em Recursos Humanos, especialização e MBA em Gestão de Recursos Humanos pela FGV- RJ e, durante muitos anos, foi gestora de uma das principais consultorias de Recrutamento e Seleção de São Paulo. Atualmente trabalha como headhunter prestando consultoria para importantes empresas no Brasil. Em sua trajetória, Lúcia já entrevistou e selecionou milhares de pessoas e nessa entrevista vai nos contar como pensa um recrutador, tudo o que devemos fazer e evitar, tanto na elaboração do currículo quanto no momento da entrevista.

Então, vamos lá?

Eu Empregadíssimo: Qual o perfil certo de profissional e qual o perfil errado?

Lucia Barbosa: Não existe exatamente um perfil certo ou errado. Existe o perfil adequado àquela vaga para a qual o profissional é selecionado de forma assertiva, atendendo aos requisitos da vaga, competências e habilidades requeridas para cargo. O perfil errado é o oposto disso. Quando o candidato não entende o perfil da vaga e superestima algumas competências ou experiências, que mais tarde, serão exigidas e ele não terá condições de corresponder.

Eu Empregadíssimo: Quais as competências fundamentais para qualquer profissional?

Comprometimento, relacionamento interpessoal, autocontrole, conhecimento técnico e cultural, criatividade, inovação e visão atualizada sobre suas competências.

Eu Empregadíssimo: O que o recrutador não aceita ver em um currículo?

Informações inverídicas, como por exemplo: Formação que não cursou – apenas se inscreveu; esconder a idade; erros de Português; e não citar as datas dos períodos trabalhados nas empresas.

Eu Empregadíssimo: Qual a primeira coisa que o recrutador olha quando analisa um currículo?

Após os dados pessoais e o objetivo, o maior foco está no resumo profissional. Na leitura desse campo o recrutador sabe se seguirá com a leitura do currículo ou não.

Eu Empregadíssimo: Você pode dar uma dica para alguém que está escrevendo seu currículo nesse momento? 

O candidato deve ser verdadeiro e realista. Tem que se imaginar um produto que está sendo apresentado para o mercado comprador. Então, deverá pensar em um modo criativo para se apresentar também, vendendo sua experiência sem mentiras. O ideal é evidenciar sua experiência e sua capacidade de assumir novos desafios. As perguntas que o candidato deve se fazer primeiro são: “Estou pronto para fazer o que”?  “Estou atualizado?” “Como está o mercado para minha experiência e formação?” e se comparar com outros profissionais daquela mesma área e cargo. Essas perguntas vão ajudar na criação de um currículo que poderá abrir mais portas e possibilidades.

Eu Empregadíssimo:  E como o candidato pode avaliar o mercado para entender o quão bem posicionado ele está ou não? 

Ao ler os perfis dos cargos para os quais deseja se candidatar, o candidato vai, facilmente, identificar o que as empresas estão solicitando para as vagas, entendendo o que ele conhece e pode contribuir e o que lhe falta ou está desatualizado. Outra forma do candidato avaliar o mercado é ter uma percepção mais clara sobre seus possíveis concorrentes. Navegar no Linkedin, por exemplo, pode trazer bons resultados sobre isso. É fundamental que o candidato pesquise profissionais com o mesmo perfil e área de atuação. Assim, poderá entender o quanto está bem posicionado ou não.

Eu Empregadíssimo: Qual o maior erro que a pessoa pode cometer no seu perfil no Linkedin?

O principal erro é fazer publicações que fogem do foco profissional. Publicar conteúdos homofóbicos, piadas, comentários racistas de qualquer espécie e temas políticos também são práticas condenáveis.

Eu Empregadíssimo: E com relação às outras redes sociais, você tem alguma orientação?

Hoje em dia, até para conseguir um visto para visitar alguns países, as redes sociais são consultadas e avaliadas. Eu diria que as pessoas devem ter muita cautela com o que postam nas redes sociais de forma geral. Por exemplo: tenho uma amiga que estava contratando um Assistente Financeiro. De curiosidade, olhou o Facebook do candidato e teve uma surpresa: encontrou fotos publicadas em que ele estava brincando com uma arma de fogo em um churrasco com outras pessoas também armadas. Poderia ser só uma brincadeira, mas não passou uma boa impressão. Outras posturas a serem observadas e evitadas: opiniões políticas partidárias, ofensas, textos com conotação homofóbica e sexistas.

Eu Empregadíssimo: Qual a primeira pergunta que você faz na entrevista e qual sua expectativa de resposta?

Costumo perguntar porque o candidato acredita estar no perfil ou ser qualificado para a vaga. Gosto de, inicialmente, provocar um desconforto para ver como o candidato reage defendendo sua posição. Uma abordagem que uso muito também é: após as apresentações, peço para ele “deixar a vaga de lado” e falar dele mesmo.  Peço para ele me contar sua história. Geralmente eles se desconcertam porque já estão com respostas prontas e programadas. É comum que os candidatos se descontraiam e falem bastante sobre si mesmo. Quando volto para o foco da entrevista, uso perguntas mais direcionadas. Costumo perguntar, por exemplo: “Se você fosse seu ex-chefe, você se recontrataria”? “Por que você acredita ter o perfil da vaga”? Gosto de avaliar o jogo de cintura do candidato.

Eu Empregadíssimo: Como você espera que o candidato se comporte em uma entrevista?

De forma respeitosa, que responda sem elaborar muito, de forma objetiva e com segurança!

Eu Empregadíssimo: O que é inaceitável em uma entrevista de emprego?

Fugir das perguntas dando respostas evasivas.

Eu Empregadíssimo: O que é um diferencial do candidato na hora da entrevista de emprego?

Ótima formação, experiência consistente, respostas claras e objetivas que deixam a sensação, ao término da entrevista, que falei com alguém inteligente e pronto para um desafio.

Eu Empregadíssimo: A entrevista tem alguma “pegadinha”?

Sempre tem, principalmente se o candidato deixar algum ponto de dúvida. Eu costumo pedir para o candidato se definir em uma única palavra ou faço perguntas como: “Se você fosse o contratante, você se contrataria? Por quê?” “Você voltaria a trabalhar no seu emprego anterior?” “Você pode dar uma razão pela qual alguém poderia não gostar de trabalhar com você”?

Eu Empregadíssimo: Qual a melhor forma do candidato se vender na entrevista?

Não demonstrar nervosismo excessivo.  Não falar gírias, se sentar de forma correta, falar da sua experiência e vida pessoal de forma clara e tranquila. Falar das habilidades sem arrogância, se mostrar disponível e demonstrar os resultados que produziu nas empresas onde trabalhou.

Eu Empregadíssimo: Quais os erros mais comuns que você observa?

Nervosismo em excesso, respostas vagas e incompletas e postura relaxada demais.

Agora que você já conhece um pouco mais da visão do recrutador, o que eles pensam e o que eles esperam dos candidatos, já pode rever seu currículo e fazer uma reflexão: “O que eu estou fazendo de certo e o que eu estou fazendo de errado no momento da entrevista de emprego”?

Reveja e ajuste seus comportamentos e esteja pronto para próximas oportunidades!

BOA SORTE!