fbpx
“Fiquei desempregada e descobri o poder da minha rede!”

“Fiquei desempregada e descobri o poder da minha rede!”

Depois de trabalhar anos na área comercial, resolvi que era hora de mudar de profissão e fui me aventurar na área de Recursos Humanos. Sai de uma grande empresa multinacional reconhecida mundialmente e fui estagiar em uma empresa de pequeno porte, ganhando 75% menos. Mas estava feliz com minha decisão, afinal era meu sonho, e sentia que algo dentro de mim gritava que era isso que eu precisava fazer naquele momento.

Alguns anos depois eu já estava em outra grande empresa como a segunda principal responsável pela área de RH supervisionando um time de 16 colaboradores e apoiando 47 unidades de negócios, sendo três delas fora do Brasil. Feliz com minhas conquistas, senti que todo o meu esforço inicial de mudança de carreira havia valido a pena!

 

Está buscando um emprego? Baixe agora o MANUAL DE PERGUNTAS E RESPOSTAS PARA SUA ENTREVISTA DE EMPREGO!

 

Em 2015 a empresa onde eu trabalhava foi atingida pela crise econômica no Brasil, unidades de negócio foram fechadas, pessoas demitidas – algumas demissões, inclusive, eu mesma conduzi –  até que chegou a minha hora e fui desligada de uma empresa pela primeira vez na minha vida!

Senti-me derrotada, cheguei até a questionar se a minha decisão lá de trás teria sido acertada, talvez se eu ainda estivesse naquela multinacional suíça, não teria sido afetada pela crise… Naquele momento eu estava no auge do meu desespero, meus pais me pediam para devolver o apartamento que eu havia acabado de comprar e voltar a morar com eles no interior de São Paulo, mas só de pensar nessa possibilidade me fazia sentir ainda mais fracassada…

Em uma das minhas noites sem dormir percebi que tinha duas opções: assumir o papel de vítima e voltar para casa dos meus pais, ou manter a cabeça erguida, o pensamento positivo e lutar pelos meus objetivos.

Resolvi lutar. Relacionei em uma planilha todos os meus contatos de anos de trabalho, todos os meus ex-chefes, amigos, conhecidos, fornecedores e todas as pessoas que, em algum momento da minha vida, eu havia trabalhado, estudado ou estabelecido algum tipo de contato. Passei 30 dias mandando e-mails personalizados para cada um, e quando alguém me falava que havia uma vaga aberta em sua empresa, além do currículo que meu contato encaminhava, eu mesma tentava entrar em contato com a pessoa do RH dessa empresa.

Fui desligada em dezembro e em meados de janeiro, vi que todo o meu esforço começava a dar resultados, meus contatos me retornavam confirmando que haviam repassado meu currículo para os RH´s de suas empresas ou até mesmo de outras.

Comecei a ser chamada para processos seletivos, cheguei a participar de dois no mesmo dia, realmente fiquei surpresa com a dedicação que as pessoas tiveram em me ajudar, e no início de março eu já estava trabalhando em uma outra grande empresa.

Sabia que precisava retribuir o esforço de cada um, por isso, novamente passei 30 dias mandando mensagens personalizadas agradecendo a todos pela dedicação, dando os feedbacks dos processos seletivos que eu havia participado por intermédio de alguns e me colocando a disposição para ajudar no que fosse preciso, e, claro, eu realmente estava pronta para ajudar quem eu pudesse!

Até aquele momento nunca havia parado para pensar no poder que eu havia desenvolvido em estabelecer um relacionamento com as pessoas através de pequenas contribuições no dia a dia, por meio de indicações, referências, divulgação de vagas, ou mesmo responder um simples e-mail confirmando o encaminhamento de um currículo para uma vaga na minha empresa.

 

 

Depois dessa experiência, percebi a importância do networking e passei a dar mais valor e ser mais atuante com minha rede de contatos. Por isso, quero compartilhar com você quatro dicas que foram muito valiosas para mim e que, com certeza, poderão ser para você também:

 

  1. Seja uma pessoa positiva – As pessoas gostam de se relacionar com pessoas positivas, alegres e otimistas, então, ter essa postura é fundamental para você gerar mais conexões dentro da sua rede de relacionamentos. Vale sugerir também que você fuja de fofocas e evite o hábito de reclamar, assim você passará uma imagem muito melhor e as pessoas vão gostar de se relacionar e estar perto de você;
  • Seja uma pessoa confiável – É muito comum que as pessoas se aproximem de outras, principalmente no ambiente de trabalho, porque querem algo em troca e isso não gera uma relação de confiança. Para construir uma relação de confiança, é importante ser honesto e transparente, estar pronto para ajudar as pessoas de forma genuína sem esperar retribuições. Você vai perceber que as pessoas se tornam muito mais abertas e receptivas quando se sentem cuidadas e acolhidas, principalmente se estiverem passando por um momento de dificuldade.
  • Não se deixe ser esquecido – Na nossa correria do dia a dia acabamos perdendo o contato com pessoas com quem estabelecemos importantes conexões em algum momento, seja no ambiente profissional, acadêmico, e até com aquelas pessoas que acabamos de conhecer em algum congresso ou outro tipo de evento presencial. Adicione essas pessoas nas suas redes sociais, mas lembre-se que numa relação mais formal e profissional, o Linkedin é a rede social mais indicada! Quando possível, puxe uma conversa, pergunte sobre a pessoa, elogie sinceramente algum conteúdo que publicou e mantenha-se sempre ativo nas suas publicações para que as pessoas sempre saibam o que você anda fazendo.  Demonstre-se disponível para ajudar e contribuir se necessário.
  • Não tenha medo e nem vergonha de fazer networking – Networking é uma relação de troca, por isso é tão importante estar disposto a contribuir sempre com o outro. E da mesma forma que você, em algum momento recebeu um pedido de ajuda e se dispôs a ajudar dentro do possível as pessoas da sua rede, elas também terão essa disposição para com você. Mas atenção, não procure as pessoas somente quando você precisar, isso pode gerar uma reação contrária e as pessoas podem passar a vê-lo como alguém interesseiro.

Para construir a sua rede é preciso doar-se um pouquinho a cada dia, ajudar o outro com sinceridade e sem esperar nada em troca, ser uma referência do bem, positiva e acolhedora para as pessoas. Foram anos fazendo isso e percebi que as pessoas eram realmente gratas e se lembravam de coisas simples que em algum momento eu havia feito para elas!

Eu descobri que a minha rede tem poder, e a sua também tem!

 

Fernanda Gomes – Co-fundadora da EuEmpregadíssimo