fbpx
CORONAVÍRUS e seu impacto no mercado de trabalho. O QUE FAZER?

CORONAVÍRUS e seu impacto no mercado de trabalho. O QUE FAZER?

O mercado de trabalho que vinha dando sinais de recuperação até o fechamento do trimestre em janeiro desse ano deve sofrer os impactos da crise causada pela pandemia do novo coronavírus.

Ainda é cedo para precisar quais serão esses impactos, mas sem dúvida alguns setores já começam a apresentar sinais de desaceleração e consequentemente congelamento de novos postos de trabalho.

Setores como turismo, entretenimento, comércios, shoppings centers, academias, restaurantes, bares, estética e outros locais onde há uma grande concentração de pessoas, já começam a sofrer os primeiros sinais da crise.

As academias, que nessa época do ano costumam ficar lotadas nos horários de pico, estão vazias devido a queda da frequência dos alunos. Algumas regiões do país há recomendações do governo para o fechamento temporário dos empreendimentos.

De acordo com informações de duas das principais entidades de shopping centers do Brasil, a Alshop e a  Abrasce houve queda de público entre 20% a 30% nas últimas semanas.

O turismo, que é o responsável pela geração de clientes para grandes companhias aéreas, redes hoteleiras e empresas de cruzeiros, e também para pequenos empreendedores como agências de viagens locais, pousadas, restaurantes ou guias turísticos sofre um grande impacto em números, uma vez que os clientes se veem obrigados a reprogramar suas viagens e cancelar passeios.

Porém, ainda é possível perceber um grande movimento em farmácias e supermercados, assim como os serviços de alimentação rápida que apresentou um crescimento no movimento de entrega por delivery.

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou um pacote de medidas de R$ 147,3 bilhões visando minimizar os impactos econômicos da crise do coronavírus, sendo R$ 59,4 bilhões destinados para a manutenção de emprego no país.

O Governador de SP, João Doria, também anunciou a liberação de R$ 225 milhões para impulsionar a economia de São Paulo e impedir impactos ainda mais negativos do coronavírus na geração de emprego e renda.

Ainda não se houve falar em redução de postos de trabalho e demissões e as medidas anunciadas pelo governo devem sustentar, ao menos por algum tempo, os empregos de milhões de brasileiros, o que já é bastante positivo.

Mas para quem está em busca de uma oportunidade de trabalho, as notícias não são nada animadoras, tendo em vista que o esperado para esse momento é o congelamento das vagas.

Então, se você está buscando emprego, o que fazer nesse momento de incertezas? Listamos algumas dicas para você:

 

  1. Mantenha a calma e continue dando o melhor de si na sua busca por uma recolocação. Se tudo correr bem, logo essa crise passa e o mercado de trabalho voltará a contratar.

 

2. Faça a sua parte para reduzir os impactos do coronavírus e siga com as recomendações do Ministério da Saúde:

– Fique em casa o maior tempo possível, mas se precisar se deslocar evite os horários de pico do transporte público;

– Lavar bem as mãos (dedos, unhas, punho, palma e dorso) com água e sabão, e, de preferência, utilizar toalhas de papel para secá-las;

– Outro produto indicado para higienizar as mãos é o álcool gel, que também serve para limpar objetos como telefones, teclados, cadeiras, maçanetas, etc;

– Utilizar lenço descartável para higiene nasal é outra medida de prevenção importante. Deve-se cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Também é necessário evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.

 

3. Aproveite que estará mais tempo em casa e atualize seu currículo, crie seu perfil no Linkedin, faça conexões estratégicas e amplie sua rede de relacionamentos. Leia os artigos:

COMO FAZER CONEXÕES ESTRATÉGICAS NO LINKEDIN

COMO MANDAR MENSAGENS PARA RECRUTADORES NO LINKEDIN

 

4. Faça um vídeo currículo e deixe disponível nas plataformas de currículo online. Profissionais de RH também devem adotar alternativas online nas conduções dos processos seletivos, e ter um vídeo currículo pode aumentar suas chances.

Leia o artigo:

PREPARE-SE! VOCÊ VAI PRECISAR DE UM VÍDEO CURRÍCULO

 

5. Amplie sua qualificação, faça cursos online e se torne mais competitivo. Algumas instituições oferecem cursos gratuitos ou bem baratos que podem te ajudar:

– FVG – A Fundação Getúlio Vargas foi a primeira Instituição brasileira a ser membro do OEC – Open Education Consortium, um consórcio de inistuições de ensino de diversos países que oferecem conteúdos e materiais didáticos sem custo pela Internet. Para ter acesso aos cursos que a FGV online oferece a você nesse consórcio, veja as opções no próprio site da Instituição.

– ESCON – Oferece mais de 2.000 cursos online de capacitação, extensão e aperfeiçoamento em diversas áreas e de forma gratuita. Todos os cursos possuem carga horária de 8 a 280 horas. Os certificados são opcionais e para emissão é necessário pagar uma taxa.

– Projeto Meu Brasil – O Projeto Meu Brasil oferece cursos online e presenciais sobre temas diversos que visam a capacitação para o mercado de trabalho ou a atualização de profissionais. A Instituição disponibiliza varias bolsas de estudo para você estudar em diversas escolas pelo Brasil pagando até 50% do valor total do curso.

– Prime cursos – Cursos gratuitos com certificado de conclusão valido para atividades extracurriculares e para enriquecer seu currículo. O conteúdo dos cursos é totalmente gratuito, e após finalizar todas as lições, é possível solicitar uma avaliação para testar o conhecimento no assunto. Para certificados impressos ou digitais a Instituição cobra uma taxa.

– Sebrae – O Sebrae oferece mais de 85 cursos a distancia gratuitamente pensados de acordo com a necessidade do empresário e atualizados conforme as inovações no mercado. Os temas variam entre empreendedorismo, gestão financeira, negócios, gestão de pessoas e muito mais.

– Udemy – A plataforma oferece mais de 100.000 cursos online dos mais diversos temas como Design, Negócios, Fotografia, Marketing, Desenvolvimento Pessoal e muitos outros. Os cursos têm um preço bastante popular. Sem duvida, vale a pena conferir!

 

6. Continue se candidatando as vagas. Mesmo diante de toda essa crise ainda existem processos seletivos sendo abertos e empresas contratando. Então mantenha- se ativo, candidatando- se as vagas de emprego e fazendo networking.

 

7. Prepare-se você pode ser convidado para participar de um processo de seleção online, então tenha uma conta no Skype e ZOOM.

 

8. Nesse momento de tantas incertezas e vagas congeladas, você pode optar por trabalhar temporariamente como freelance. Listamos alguns sites que podem te ajudar, confira:

  • https://vagashomeoffice.com.br/ – O site vagas home office, divulga apenas vagas de empregos em sistema de contratação home office ou trabalhos flexíveis.
  • https://www.homeagent.com.br/ – A Home Agent é uma empresa de call center voltada exclusivamente para o home office. Você pode cadastrar o seu currículo para trabalhar desta forma. 
  • https://trampos.co/oportunidades – O Trampos ajuda os candidatos a encontrarem uma vaga CLT ou trabalho freelance nas áreas de comunicação, web e publicidade.
  • https://www.workana.com/pt – O Workana é mais voltado ao trabalho dos freelancers, que postam seus currículos na plataforma.

 

Portanto, é tempo de afiar o machado e de se preparar, se qualificar, estudar, e o mais importante: não criar pânico. É tempo de paciência e de perseverança. Em breve a crise vai passar e voltaremos à normalidade. Você precisa estar preparado!

Deixe uma resposta